Startup utiliza inteligência artificial para auxiliar na escolha dos melhores terrenos

Plataforma considera detalhes como os aspectos de mercado (oferta e demanda) e as facilidades já existentes na vizinhança para os futuros moradores

Selecionar o melhor terreno para execução de um projeto, geralmente, é uma atividade que demanda recursos financeiros e tempo. Com o objetivo de facilitar esse trabalho, a Hiperdados desenvolveu um software que entrega em alguns minutos informações precisas sobre as áreas com melhor potencial para receber a construção. A rapidez nos resultados é possível com a utilização de uma inteligência artificial que já foi colocada à prova com 3,5 mil variáveis e 15 milhões de dados. Os diversos testes reduziram os erros de previsão, que se tornaram raros, e permitem que o sistema esteja pronto para ser empregado na prática pelo mercado.

Para indicar as melhores opções de terreno, a solução da Hiperdados considera detalhes como os aspectos de mercado (oferta e demanda), as facilidades já existentes na vizinhança para os futuros moradores, os aspectos legais de uso e ocupação do solo, os modais de transporte no entorno e os equipamentos urbanos disponíveis. A inteligência artificial também verifica se o projeto se encaixa na área em estudo e realiza a análise de viabilidade econômico-financeira no horizonte do tempo. Em pouco tempo, o incorporador conseguirá definir o preço do terreno com bastante precisão, algo que demoraria semanas com o método convencional.

“Quando a Hiperdados foi posicionada como proptech, pensávamos em oferecer a melhor e mais inovadora opção tecnológica que ajudasse as incorporadoras a facilitar processos e, por consequência, melhorar sua operação. Foi então que desenvolvemos a AI que consegue processar milhões de informações em questão de minutos, entregando um serviço mais completo e rápido para a construção”, detalha Wagner Dias, CEO e cofundador da Hiperdados.

Momento do mercado

Segundo pesquisa elaborada pelo Secovi-SP, foram comercializados cerca de 47 mil imóveis novos na capital paulista nos seis primeiros meses de 2021. Somente no último mês de setembro, foram vendidas 5.089 unidades residenciais novas na cidade de São Paulo, resultado 23% inferior às vendas de agosto e 1,1% abaixo das 5.147 unidades comercializadas em setembro de 2020. “Alguns fatores influenciaram esta acomodação do mercado imobiliário, como o aumento das taxas de juros dos financiamentos imobiliários e do IPCA, que mede a inflação e chegou a 10,25%”, avalia Celso Petrucci, economista-chefe do Secovi-SP.

Outra questão que interferiu para a situação de acomodação foi a interrupção das discussões em torno das reformas tributária e administrativa no Congresso Nacional.